• White Facebook Icon
  • Instagram - White Circle
  • White LinkedIn Icon

BioTech

CONSULTORIA

Empresa Júnior de Engenharia Biomédica da Universidade Federal de Pernambuco

Desenvolva Habilidades Diferenciais para Maior Sucesso da Sua Carreira

March 25, 2019

As habilidades estão mudando. O foco dos recrutadores transita dos especialistas pós-doutorados para líderes bem relacionados, assertivos, resolutos e adaptáveis.

 

Temos aqui várias dicas sobre como se adaptar ao novo mercado, atenta!

 

As pesquisas recentes apontam estatísticas assustadoras sobre o mercado de trabalho: 70% dos trabalhadores não se sentem engajados no trabalho;

 

75% das pessoas que pedem demissão não estão saindo pela insatisfação que tem pelo seu trabalho, mas sim porque não suportam mais seus chefes;

 

89% dos empregadores pensam que seus funcionários deixam o emprego para ganhar um salário maior, mas somente 12%mudam de emprego realmente por esse motivo;

 

Apenas 40% dos funcionários dizem conhecer os objetivos, estratégias e táticas das empresas onde trabalham.

 

Fonte: Upworth.

 

Tem algo de errado acontecendo e decidimos investigar, para auxiliar nossos estudantes e empreendedores a percorrer o melhor caminho rumo à autorrealização profissional.

 

Fizemos então algumas perguntas:

 

  • Por que estamos insatisfeitos ao chegar no mercado de trabalho?

  • Será que nossa formação acadêmica que é insuficiente?

  • Por que estamos desconectados das nossas funções e dos nossos sonhos?

  • Será o fim das carreiras tradicionais?

  • Ainda serão valorizadas as mesmas competências humanas?


Segue na leitura, que vamos te contar um pouco mais sobre isso.

 

Para falar sobre as carreiras tradicionais e sobre as novas competências humanas, foi necessário muita pesquisa e trazemos aqui pra você alguns dos melhores resultados, resumido nesse belíssimo estudo: “Futuro do Trabalho”. Construído em parceria inédita entre o LinkedIn – a maior rede social profissional do mundo – e a WGSN – autoridade mundial na previsão de tendências.

 

O levantamento cruzou análises de comportamentos e tendências com dados de mercado, para trazer respostas confiáveis para o presente. Ele procurou também mostrar como as habilidades humanas e tecnológicas podem andar juntas e serem complementares no mercado profissional.

 

Segundo Luiz Arruda, Diretor da WGSN Mindset – braço de consultoria especializada da empresa: “Apesar do pessimismo que ronda o imaginário sobre o futuro do trabalho, identificamos que, quanto maior a utilização de tecnologias no ambiente profissional, mais valorizadas são as habilidades humanas. Características como flexibilidade, resiliência, criatividade, liderança são aspectos insubstituíveis do ser humano e serão cada vez mais reconhecidos.

 

”Agora que você tem em mente que precisamos mais do que conhecimento técnico e habilidades especializadas, procuramos compreender quais são essas habilidades: The Future of Jobs: Employment, SkillsandWorkforceStrategy for theFourth Industrial Revolution (O Futuro dos Empregos: Emprego, Competências e Estratégia da Força de Trabalho para a Quarta Revolução Industrial).

 

  1.  Resolução de Problemas Complexos

    No topo da lista, como a habilidade mais desejada para se ter em 2020, está a capacidade de resolução de problemas complexos — definida pelo relatório como a capacidade de “resolver problemas inéditos e mal definidos em contextos complexos e do mundo real”.

    Trata-se da habilidade não inata, ou seja, que não nasce desenvolvida. É adquirida através de experiências e problemáticas enfrentadas pelo indivíduo. Então faz-se necessário sair da zona de conforto e encarar grandes desafios ou apenas começar incluindo na lista de games do trânsito, puzzles divertidos.

     

  2. Pensamento Crítico

    De acordo com a pesquisa, ser uma pessoa que pensa de forma crítica ainda será uma qualificação valorizada nos próximos quatro anos. Mas o que o pensamento crítico realmente envolve?

    O pensamento crítico envolve lógica e raciocínio. O profissional deve ser capaz de usar a lógica e o raciocínio para questionar determinado problema. Deve considerar várias soluções para aquele obstáculo. Além disso, colocar os “prós” e “contras” na balança, a cada nova abordagem.

     

  3. Criatividade

    Como escritor do Fórum Econômico Mundial, Alex Gray explica: “Com a avalanche de novos produtos, tecnologias e formas de trabalho, os funcionários terão de se tornar mais criativos para se beneficiar de tais mudanças”.

    “Os robôs podem nos ajudar a chegar aonde queremos nos tornar mais rápidos, mas eles não podem ser tão criativos quanto os humanos (ainda)”.

    Nos autointitulamos não criativos pelo formato de ensino que recebemos, valorizando a leitura e reprodução exata do conteúdo. Mas somos todos seres extremamente criativos, seja para dar conselhos, até resolver problemas complexos do dia a dia como convencer o namorado(a) fazer alguma atividade para você.

    Isso deve se aplicar à nossa formação profissional em diversas situações, seja para criar um novo algoritmo mais otimizado até encontrar a substância que se encaixa perfeitamente naquela solução. Podemos aprender novas técnicas de criatividade, como brainstorming e brainwriting com equipes.

     

  4. Gestão de Pessoas

    Mesmo com a evolução da Inteligência Artificial e a Automação do trabalho, ainda serão os funcionários que organizam e definem as funções de tais máquinas. Os recursos humanos são extremamente valiosos para todas as organizações.

    Mesmo assim, ainda sendo fundamentais para qualquer organização, os seres humanos tem dias ruins, ficam cansados, doentes, distraídos e desmotivados.

    Por isso, é vital que gerentes e líderes saibam motivar suas equipes, maximizar sua produtividade e atender às suas necessidades.

    Ser um grande líder tem muito a ver com inteligência emocional, saber delegar e desenvolver seu próprio estilo de gerenciamento.

     

  5. Inteligência Social

    Inteligência social sempre estará em foco no ambiente de trabalho. Relacionar-se com as pessoas, criar laços, compreender e gerar valor para outro, independente do seu interesse, é fundamental para concluir bem o projeto.

    “A interação humana no local de trabalho envolve produção em equipe, de forma que os trabalhadores aproveitem os pontos fortes uns dos outros e se adaptem de forma flexível às mudanças de circunstâncias”, explica o relatório do FEM. “Essa interação não rotineira é o cerne da vantagem humana em relação às máquinas”.

    Entrar em contato com o outro envolve uma boa capacidade de oratória e comunicação uma percepção das necessidades, pontos forte e fracos do outro, assim como ser flexível para trabalhar com diferentes estilos de personalidade.

     

  6. Inteligência Emocional

    É perceptível que a maioria esmagadora das respostas dos recrutadores e responsáveis por RH citam:

    “de forma geral, as habilidades sociais — como persuasão, inteligência emocional e habilidade para ensinar os outros — serão as mais requisitadas em todas as indústrias”.

    Como Bradberry explica em um artigo para a Forbes, “ela afeta como administramos comportamentos, navegamos nas complexidades sociais e tomamos decisões pessoais capazes de gerar resultados positivos”.

    É uma habilidade individual e social importante para todas as pessoas, em todos os setores, e você ficará feliz em saber que pode melhorar seu QE (quociente emocional)!

     

  7. Julgamento e tomada de Decisões

    A capacidade para fazer julgamentos com discernimento e a habilidade para tomar decisões firmes são fundamentais em aspectos profissionais e pessoais. Desde quando escolhemos as pessoas com quem teremos nossos filhos até um determinado caminho que o projeto deve tomar, é fundamental para a sua sobrevivência e da organização da qual faz parte.

    E como podemos melhorar nossa capacidade de tomar decisões diariamente?
        1
    ) Descubra e esclareça quais problemas ou perguntas você deseja solucionar em sua vida.
      2) Procure ferramentas que organizem seus horários, informações, atividades e prioridades.
        3) Comece onde você está. Use o que você tem. Faça o que você pode.

     

  8. Orientação de Serviço

    Podemos definir como a capacidade de “procurar ativamente formas de ajudar as pessoas”.

    Isso significa que as empresas “precisarão aprender a antecipar mais rapidamente os novos valores dos consumidores, traduzi-los em ofertas de produtos e se tornar cada vez mais informadas acerca dos processos envolvidos na satisfação dessas demandas”.

    “Dominar a orientação a serviços envolve entrar nas mentes dos usuários e pensar sobre o que eles valorizam, temem e não gostam; bem como desenvolver novos produtos ou adaptar serviços para preparar sua empresa ou marca para o futuro.”

     

  9. Negociação

    As máquinas e inteligências artificiais estão chegando, porém a arte de negociar ainda é expertise e especialidade humana. Por quê? Porque somos muito melhores em interações sociais e sabemos ponderar, sentir e observar as necessidades do outro.

    Em breve até os cargos mais técnicos e operacionais irão necessitar de habilidades interpessoais mais fortes. Então a capacidade de negociar com gestores, colegas, equipes e clientes estará no topo da lista de todas as habilidades necessárias.

     

  10. Flexibilidade Cognitiva

    Apesar de ser bem autoexplicativo, é válido fazer uma boa comparação. Podemos comparar essa habilidade com um bom mastercheff, que sabe utilizar na cozinha diversos equipamentos, conhece todos os alimentos, mas não para por aí. Ele sabe fazer infinitas combinações, com criatividade, métrica e crítica assertiva para explicar suas escolhas.

    “Quanto mais flexível você for, mais facilidade terá para ver novos padrões e fazer associações únicas entre diferentes ideias, o que lança uma nova luz sobre o conceito de ter uma mente “ágil”!"

    Então se você não se considera uma pessoa multidisciplinar, com uma bagagem diversificada, é hora de começar a olhar para as novidades, perceber como as coisas podem se aplicar ou se encaixar no contexto que você está.

    Isso pode ser feito de diversas formas, seja aprendendo um instrumento musical, seja dança, teatro, um curso que está fora das suas habilidades usais, como investir no mercado financeiro ou usar o excel para algo novo.

    Busque mais interesses, leia sobre assuntos diversificados, fora da zona de conforto e principalmente busque trabalhar com pessoas que desafiem a sua visão de mundo.

    Seu cérebro e a sua carreira agradecem.

    O que levamos depois de tanta novidade?

    Como vimos, há uma tendência muito forte na mudança de necessidades do novo mercado de trabalho. Não é mais suficiente ser um especialista técnico para dar conta das atuais atividades. Elas envolvem cada vez mais a inteligência social e as habilidades de comunicação, unidas a um propósito individual claro e um ambiente receptivo para desenvolver suas capacidades.

    Tudo isso é um desafio dentro das Universidades, que tem um foco extremamente acadêmico e não formam seus alunos para o próximo passo, vencer no trabalho.

    Por outro lado, existe uma grande oportunidade de desenvolver tudo isso, mesmo sendo um graduando. São as empresas juniores que preparam os atuais estudantes, desenvolvendo habilidades do futuro que são requeridas hoje pelo mercado.

    Fica ligado, esses dias estaremos falando mais sobre isso e sobre como você pode se desenvolver ainda mais.

    Referências: Futuro do Trabalho, Fábrica de Cursos, Brasil País Digital, Futuro Exponencial

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

Resíduos de Serviços de Saúde

August 2, 2019

1/2
Please reload

Recent Posts