Tendências para o futuro da gestão em saúde

A gestão em saúde é uma ferramenta indispensável para todos os setores hospitalares e clínicos existentes, pois assegura que todos os profissionais sejam competentes e que os equipamentos estejam funcionando. Somado a isso, também é a gestão que deve promover normas de humanização, para melhorar a interação com o paciente, sem deixar de lado o controle financeiro da instituição.


Mas, quais são as expectativas para o futuro da gestão em saúde? O que irá mudar daqui a alguns anos?


Com a pandemia do Covid 19, muitas mudanças forçadas e mal elaboradas ocorreram, mas nem todas foram negativas. Com o isolamento social, por exemplo, surgiu a necessidade da adequação à telemedicina, além de mudanças na organização dos consultórios e clínicas para conseguir recepcionar os pacientes de forma correta e protegida.

Por isso, muitas mudanças causadas pela pandemia serão melhoradas e com certeza implementadas na área de gestão em saúde. Pode-se esperar um grande avanço no atendimento remoto e híbrido, por ser de fácil manuseio e promover uma maior comodidade para o paciente e o médico também. Para isso, é preciso um investimento em ferramentas mais eficientes, que permitam uma melhor interação com os pacientes e em treinamento dos profissionais de saúde.


Outra ferramenta que veio para ficar foi o agendamento on-line. Com poucos cliques já é possível marcar uma consulta com um especialista, agilizando o processo e poupando tempo da pessoa que busca o atendimento. Além disso, também favorece o estabelecimento, pois proporciona uma automação do gerenciamento de horários e turnos, a previsão de demandas e a organização de leitos, facilitando o trabalho do gestor.

Mais uma tendência para o futuro da gestão em saúde é o fortalecimento de novas tecnologias digitais na saúde. O setor continua avançando de forma desenfreada, integrando ferramentas de Inteligência Artificial, e softwares inteligentes. Com essas ferramentas aliadas aos profissionais de saúde, será possível até mesmo utilizar os dados do histórico do paciente para prever doenças que podem acometê-lo no futuro.


Ainda mais, temos algo muito importante para o bem-estar do paciente: a humanização do atendimento. Pode parecer uma contradição falar isso, pois o avanço da tecnologia tem uma certa tendência de afastar as pessoas, mas uma maior utilização de tecnologias e a distância não significam um esfriamento nas relações entre médicos e pacientes. Pelo contrário, muitos recursos da telemedicina já são até utilizados para proporcionar um monitoramento mais próximo e completo do estado do paciente. A tecnologia permitirá que, mesmo à distância, a relação médico-paciente seja sempre possível, possibilitando que o profissional de saúde analise o estado do paciente em tempo real e possa dar as devidas orientações.


16 visualizações0 comentário