Setembro Amarelo e Pandemia: como cuidar da saúde mental dos estudantes

Durante a pandemia do Covid-19, que impactou negativamente diversas facetas da sociedade, tirando-nos amigos, familiares e, em suma, a segurança do existir; a degradação da saúde mental foi um dos saldos mais negativos para o bem-estar da população. Dentre os que mais sofreram com isso, a juventude se mostra uma das faixas mais debilitadas, visto que a paralisação das aulas foi uma das primeiras coisas a ser estipulada e uma das últimas a ser readmitida. Desde estudantes universitários a crianças em idade escolar; a trágica e súbita mudança na rotina, a incerteza, a imaturidade e o medo para lidar com uma ameaça tão próxima quanto impalpável foi um golpe profundo contra a mentalidade ainda em desenvolvimento dessa faixa etária.


Neste momento, iniciamos o Setembro Amarelo com a população jovem de todo o país no auge da vacinação, em uma perspectiva bem mais otimista quando comparada a 2020. No entanto, é sempre importante lembrar como devemos cuidar da saúde mental dos nossos estudantes, que, na maior parte do território nacional, ainda está frequentando aulas na modalidade online, no formato de ensino a distância (EAD). Assim, separamos alguns cuidados e lembretes relevantes:


Está tudo bem não estar tudo bem

Um dos primeiros passos para enfrentar um problema é reconhecê-lo. Permita-se internalizar que estamos passando/passamos por uma situação assustadora, de muitas perdas e mudanças, e que é normal não saber lidar com isso. É normal sentir medo e não se adaptar de prontidão. E está tudo bem não conseguir fazer suas atividades ou se sentir bem como você era antes.


Perdoe a si mesmo

O caos mundial e, especificamente, nacional, é uma razão totalmente plausível para justificar a sua inconstância mental, assim como para justificar o porquê de você não conseguir produzir tanto quanto antigamente. Perdoe-se e internalize que ainda estamos passando por um processo de adaptação ao "novo normal".


Permita-se ter outras prioridades

Para muitos estudantes, os estudos e a conquista de notas boas sempre foi uma das prioridades vitais. Porém, com a eclosão da pandemia, essas premissas mudaram completamente, ao percebermos que nossa saúde, família e amigos merecem papéis bem mais relevantes em nossas vidas. Assim, permita-se colocar essas coisas no topo de sua lista de importância.


Não esqueça de viver

Durante esse período, o "sobreviver" foi a prioridade principal. Agora, com a melhoria do cenário pandêmico, torne o "viver" a coisa mais importante. Reconecte-se com seus amigos, abrace seus familiares e conheça novos lugares (claro, sempre respeitando as normas de convivência) ! Devemos sair dos nossos cubículos e enxergar que ainda há muita vida pela frente.





9 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo