COVID-19 e o descarte de materiais contaminados

Atualizado: Jul 15

Como se sabe, o mundo está passando por um momento muito difícil, no qual o distanciamento social é fortemente incentivado. Porém, muitos ainda precisam sair de suas casas e arriscar suas vidas para se sustentar. Devido a isso, a recomendação superior é de que essas pessoas usem as devidas proteções para conter o avanço do “novo” coronavírus. Dentre essas medidas de proteção está o uso de máscaras e luvas.


A grande maioria da população aderiu às recomendações. Entretanto, o que poucos sabem, é que o descarte inadequado desses objetos pode acabar agravando ainda mais a situação. Os resíduos contaminados com coronavírus devem ser classificados, segundo a RDC 222/2018 e Resolução CONAMA 358, como resíduos de serviços de saúde do Grupo A, o grupo dos resíduos com presença de agentes biológicos, que, por suas características, podem apresentar risco de infecção. Ou seja, qualquer pessoa que entrar em contato com qualquer resíduo contaminado, como luvas e máscaras usadas, corre grande risco de se contaminar e disseminar a doença para outros.


De acordo com a ABES (Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental), o tempo de permanência do coronavírus em resíduos é:


Além disso, uma vez que esses materiais, não necessariamente contaminados especificamente com o coronavírus, entram em contato com o solo ou a água, podem causar sérias contaminações no ambiente e danos à vegetação, prejudicando não só a nós, mas a qualquer ser vivo que entre em contato com a área contaminada. Não existem ainda estudos suficientes para comprovar possíveis danos ambientais causados pelo coronavírus, mas muitos outros agentes podem trazer perigos.


Portanto, é necessário que todos tomem precauções quanto ao armazenamento e descarte desses resíduos, atentando para o tempo de sobrevivência do vírus em cada material e buscando as formas corretas de descarte desses resíduos, a fim de evitar impactos ambientais e eventuais contaminações.


Vale lembrar que, quando falamos de escalas maiores, como, por exemplo, o descarte dos resíduos de uma empresa ou indústria, deve haver uma gestão de resíduos ainda mais rigorosa, por meio de profissionais qualificados para o serviço e documentos devidamente regulamentados. A BioTech Consultoria atua há mais de 3 anos no mercado oferecendo serviços para sanar esses tipos de problemas e está disposta a cuidar de quaisquer dúvidas ou impasses que o mercado tenha nessa área. 

16 visualizações

BioTech

CONSULTORIA

CNPJ: 29.118.133/0001-49

Empresa Júnior de Engenharia Biomédica da Universidade Federal de Pernambuco